22 abril 2016

RuPaul's Drag Race: S08 E07 - Por Rômulo Cordeiro

Oi pessoal, tudo bem? O recap dessa semana está chegando com um pouco de atraso porque avida glamorosa ficou pra RuPual, nós temos que estudar e trabalhar pra poder pagar a fatura do cartão. (kkkkkkkkkkk). Enfim, vamos ao resumo do episódio passado.

No episódio anterior as queens foram desafiadas a montar o casting do programa Little Woman do canal pago Lifetime, com o tema O Magico de Oz. Algumas queens levaram a sério os comentários de alguns jurados e se sobressaíram na passarela. Temos que dar uma ênfase em Naomi Smalls e Kim Chi que despertaram pra competição e decidiram ir pra passarela com toda garra que elas tem. O prêmio da semana foi para Naomi Smalls e o seu belíssimo espantalho. Por outro lado, Chi Chi Devayne e Derrick Barry não souberam absorver as críticas e erraram novamente em seus looks, porém, o Lipsync for your life foi disputado por Derrick e Robbie Turner, deixando essa última pra trás na competição, e isso é tudo o que você precisa saber sobre esse episódio.


Logo após a eliminação de Robbie Turner as queens remanescentes discutiam o quanto Derrick foi dramática após vencer o Lipsync, obvio que o monologo de aceitação e tristeza foi editado pela Logo TV, ainda bem, porque com certeza eu não teria tido forças pra acompanhar todo o drama de Derrick, mas, isso serviu pra pôr a Queen no chão e perceber que existem competidoras que querem ver sua queda.

Naomi Smalls questionou Chi Chi do por que ela ter ficado bastante emocionada na passarela, Chi Chi por sua vez alegou que é chato quando não reconhecem seu esforço e empenho em alguma coisa, e querendo ou não eu tenho que concordar com isso, mas não houve esforço da Chi Chi, pelo contrário, ainda acredito que ela se apoia na justificativa: “Sou uma queen pobre, não tenho looks glamorosos com as outras e vocês tem que engolir meus looks feios e mal feitos”, pra isso é isso que Chi Chi vem representando a cada passarela.

Essa temporada ta começando a me deixar cansado. Não temos mais looks maravilhosos, nem maquiagens extravagantes. As queens dessa temporada estão numa zona de conforto tão extensa que elas ousam em dizer que as críticas são perseguição de alguns jurados. Um exemplo disso é a própria Chi Chi, apesar de estarmos na oitava temporada ainda não tomou pra si que a justificava da falta de dinheiro não é desculpa pra atender os desafios, Michelle Visage já cansou de dizê-la isso, mas ela não ouve. Tô sentindo muita falta das temporadas passadas onde apareciam asas, bolsas, acessórios e coisas inimagináveis como acessórios. Usar uma jóia qualquer com algum brilho já é o bastante pra essas participantes. Sinceramente, por mim, já podem dar o prêmio pra Kim Chi só pela sua dedicação nas maquiagens, que é algo que eu acho maravilhoso.


O desafio dessa semana foi “Shady Politics” onde as queens teriam que criar uma campanha eleitoral para presidente dos Estados Unidos, só que jogando muito veneno em cima da sua oponente, algo que eu achei super oportuno depois do fim de semana do impeachment de nossa Presidente Dilma Rousseff. Eduardo Cunha iria sobressair nesse desafio.

RuPaul mais uma vez fez um twist maravilhoso na tentativa de apimentar a competição. Dividiu as duplas, acho que de acordo com afinidades ou desavenças, porque foi divertidíssimo ver a cara da Derrick ao ver sua dupla.

As duplas foram: Derrick Barry e Bob The Drag Queen, Kim Chi e Naomi Smalls e por último Thorgy Thor e Chi Chi Devayne. Derrick se questionou se aquilo aconteceu pelas suas desavenças com Bob a respeito de suas atitudes nas últimas semanas, bem capaz que tenha sido mesmo, todos nós sabemos que Ru não perde oportunidade de colocar lenha na fogueira quando o assunto é shade!


Mas o diferencial de Derrick nesse episódio foi deixar de ver essas birras como algo que a atrapalharia elas e começasse a transformar isso em algo positivo. Tenho que reconhecer essa percepção de Miss Barry, afinal, todo aquele monologo de aceitação teve que servir pra alguma coisa.


Se Derrick via a desavença como uma arma, Kim Chi já via sua amizade com Naomi como uma ameaça. Kim disse que não conseguiria gongar Naomi, primeiro por não ser uma queen de shade, segundo por ser muito próxima a ela. Kim se preocupou, e muito, com essa situação. Nada mais certo.


Já Thorgy e Chi Chi tiveram como dificuldade a “criatividade” excessiva de Thorgy Thor que escreveu nada menos do que 30 páginas de piadas contra Chi Chi Devayne. Se eu estivesse no lugar de Chi Chi eu me preocuparia com o meu estilo pra ter gerado tanto veneno.


Durante as gravações Michele e Carson deram suporte a algumas queens em especial a Thorgy Thor e Kim Chi. Thorgy, tentou editar suas 30 páginas de campanha porem não soube como organizar o vídeo. Kim Chi estava com um probleminha na dicção e não convencia Carson de que tudo o que ela falava era um shade. Triste para Kim.

Aparentemente as outras queens estavam se dando bem nas suas atuações, em especial Bob e Derrick. A visão de Derrick de que os problemas com Bob seria uma arma foi uma decisão crucial para as duas. O Shade foi bem aplicado e as coisas fluíram normalmente.

Na Passarela o tema foi “Black and White Movie Realness” o que eu não sabia o que esperar dela, mas não criei muitas expectativas já que não viria muita coisa.


Kim Chi, Bob The Drag Queen e Thorgy Thor incorporaram palhaços meio alegres e meio triste. Tive a sensação de ver o desafio da Madonna mais uma vez. Foram looks chatos e sem criatividade, mais uma vez, salvo por Kim Chi que inovou ao interpretar um mimico na sua entrada.


Chi Chi Devayne mostrou o seu melhor look, já que não foi ela quem fez né? (kkkkkkk). Segundo Kim foi um vestido dado pela sua Mãe Drag o que deixou todos de boca aberta ao ver tanto luxo em Chi Chi. Gostei da sua escolha pra passarela.


Naomi Smalls se inspirou em Detox no reunited da quarta temporada, não ficou tão maravilhoso quanto Detox, mas deu um up em Naomi. Ela inovou seu look e seu corpo ao usar enchimento no quadril, atitude reconhecida por Michele e RuPaul. Sem falar que Naomi parou de usar suas calcinhas e seus sutiãs na passarela. Até que fim podemos ver outro lado de Naomi.


Derrick Barry não foi de Britney, mas ainda ta mais do mesmo. Nessa passarela ela chegou com a cara da moça virgem deixada na janela, uma boa proposta para o tema já que era filmes preto e branco, mas ficou tão normalzinha que no Untucked Bob confessou que não entraria na competição usando um vestido onde os telespectadores apontariam e diriam: “Eu tenho um vestido desses em casa”, o que foi bem verdade, o vestido era tão simplista, tão sem sal, que imaginei Chi Chi Devayne dentro dele. Mas dos males o menor, ela não tava de Britney. Amem.

Nas campanhas, Bob e Derrick levaram a melhor ganhando o desafio da semana. A Campanha delas era bem venenosa alegando o melhor lado delas e exaltando o pior da outra, como por exemplo Bob sendo uma ótima mãe e Derrick comendo criancinhas no café da manhã. Derrick se esforçou bastante nesse desafio e sabia o que era preciso para ganha-lo.

Já Kim Chi e Naomi foram medianas, não houve muito shade, mas Ru reconheceu que suas plataformas políticas eram muito boas. Kim enalteceu a questão do preconceito contra asiáticos, gordinhos e gays. Já Naomi defendia a beleza e o quanto o pais precisava de um governante glamoroso. Foi uma sacada boa pras duas. Mas o veneno ficou um pouco esquecido.

Chi Chi e Thorgy foi uma verdadeira bagunça. Primeiro por que Thorgy não soube organizar suas ideias, acredito eu que ela estava tão focada em derrotar Bob que não soube como organizar tudo. Foi ruim de se ver. Chi Chi foi criticada pela atuação um pouco forçada, mas na opinião de Vivica teve bastante difamação. Chi Chi se dedicou na sua plataforma dos fracos e oprimidos, mas eu considerei a piada de todo americano ter um pinico para mijar e uma janela pra jogar o mijo fora, foi ruim.

Como foi citado mais acima, Derrick e Bob levaram o desafio da semana, salvando Kim e Naomi e colocando Chi Chi e Thorgy no Lipsync for your life.


Chi Chi compensa sua falta de esforço na passarela e nos looks no Lipsync for your life. É o segundo Lipsync que consigo ver o esforço estampado na cara de Chi Chi. É tanto esforço e dedicação que em um dado momento Thorgy Thor visivelmente desiste de dublar e diminui seu ritmo.

Derrubar Chi Chi num Lipsync vai ser difícil, manas.


Resultado, Sashay Away pra Thorgy Thor que no Untucked se mostra mais revoltada e amargurada com a derrota do que triste por deixar a competição.

Enfim chegamos ao Top 5 dessa temporada e eis o meu top 03 semanal:

3 – Bob The Drag Queen:

Desceu essa semana porque me decepcionou na passarela entrando de palhaça, eu esperava algo mais chocante e icônico de miss Bob.

2 – Naomi Smalls:

Entrpu no top 3 essa semana merecidamente, desde a semana passada Naomi vem tomando alguns conselhos pra si e ascendendo na competição. Usa enchimento foi uma delas. Já tava cansado daquela Naomi magra e com pernas a mostra.

1 – Derrick Berry:

Miss Berry usou uma de suas fraquezas como arma e se sobressaiu nessa competição. Derryck está se descobrindo na competição e isso é notável. Continue assim e além o titulo de centésima queen, você terá quem sabe o título de America Drag Super Star!

Até a próxima semana!

Rômulo Cordeiro
Twitter: @Raiolaser_
Instagram/snapchat: raiolaser



14 abril 2016

RuPaul's Drag Race: S08 E06 - Por Rômulo Cordeiro

Oi pessoal, tudo bem?

Já estamos no sexto episódio da temporada, quase a metade do jogo, e competição já está ficando acirrada possível.

No episódio da semana passada tivemos o pior snatch game desde a bagunça que foi o da quarta temporada, nada funcionou como comentei no recap passado.

Na passarela o tema era as 100 faces de Madonna, que garantiu mais uma vitória pra Bob The Drag Queen. Em contra partida tivemos Acid Betty e Naomi Smalls como as duas piores da semana e indicadas ao LipSync for your life. Naomi levou a melhor, enquanto tivemos que dar Sashay Away pra Acid Betty. Uma pena, eu gostava muito dos looks da Betty e também da sua personalidade, mas quem sempre toma as decisões é Mamma Ru, o que nos resta é aceitar. Isso é tudo o que você precisa saber pra entender o episódio dessa semana.


Após a eliminação de Betty e ainda pegando alguns ganchos do untucked, todas as queens, sério mesmo, TODAS, se voltaram para Naomi e a alertaram sobre todos os seus looks, sexto episódio mana, não dá pra vencer e ser coroada Drag Super Star usando apenas calcinha e sutiã. Em sua defesa Naomi disse que tinha sim outros looks, mas que gostava de exibir seu corpo porque havia trabalhado muito nele e na estética da sua drag.

Mesmo com essa justificativa ainda acho isso um erro, como alguém quer entrar pro halls das drags servindo a mesma coisa nas passarelas. Ai você pode querer me lembrar que Bianca Del Rio ganhou a sexta temporada usando vestidos parecidos. Isso é bem verdade, mas Bianca, diferente de Naomi é versátil, ganhava desafios semanais e tenho poucas lembranças de seus lipsyncs, tudo o que Naomi não tem ou é!


Thorgy Thor essa semana destilando um recalque sem proporções pra cima de Bob The Drag Queen, que por sua vez não perdia oportunidade de exibir suas vitorias. Até compreendo essa amargura de Thorgy, afinal, ela tem se esforçado bastante e oferecido seu talento na competição, mas parece não ser o suficiente. Todas as críticas para Thorgy são positivas, e ela imagina sempre ficar em segundo, mas ficar perdendo tempo se irritando com Bob não vai ajudá-la em nada. 


Finalmente chegou o mini desafio que eu mais adoro, que é “A Livraria está aberta”, quem não se recorda, é quando as queens jogam seus pensamentos livremente uma contra as outras. Amo esse mini desafio por que quase sempre temos alguém que se dói com o shade, e acabemos conhecendo quem se faz de santinha e principalmente ver quem é a mais odiada internamente. 

Como esperado, eu já sabia que os alvos principais seriam Derrick Barry, Naomi Smalls e Bob The Drag Queen. Bob por sempre exaltar suas duas vitorias e fazendo algumas queens desejarem que ela escorregue o mínimo pra poder cair da competição. Derrick por não mostrar versatilidade e nada além de Britney Spears. Naomi, bom, os motivos são óbvios né? Ninguém está mais suportando Naomi e seus looks de calcinha e sutiã. Victoria Secret’s Fashion Show é em outro canal. 


Para o desafio principal dessa semana, as queens ainda restantes deveriam montar o casting do programa Little Woman L.A. com o tema O Mágico de Oz. Cada Daminha ficou com um personagem, e elas deveriam escolher suas queens para se caracterizarem de acordo com os personagens. 


Brianna, ficou com a Bruxa Má do Oeste, e escolheu Kim Chi como sua parceira. Kim foi de cabeça nessa desafio, quando RuPaul passou por ela para saber quantas anda a sua criação ela disse que estava bem focada nesse desafio, pois só tinha ganhado o primeiro e o restante ela vinha sendo apenas salva, ela queria mais! Acho que Kim andou lendo meu top 5 da semana passada onde eu a chamei de sabonete. É bom ver as competidoras agindo dessa forma.


Brittney ficou como uma cidadã da cidade das esmeraldas e escolheu Thorgy Thor. De longe, esse foi o look mais icônico da Thorgy pra mim. Nem parece aquela Thorgy caricata com necessidade de dizer pro mundo que ela é “engraçada”. Particularmente eu achei que foi um dos melhores looks dessa passarela.


Cristy ficou com o Leão Covarde e escolheu Robbie Turner. Quando vi o personagem que ela ficou já tentei imaginar um Leão Vintage. Acredito que esse seja um personagem fácil de se fazer. Mas como Michele apontou, tinha tudo pra ficar bom, mas a cauda do vestido parecia muito pano amassado. Não ficou bom não Robbie.


Elena ficou com Glinda, a bruxa boa e escolheu Bob The Drag Queen. Bob se dedicou tanto, mas tanto em deixa Elena linda e maravilhosa, que ele esqueceu de se deixar bonita, e isso não é uma piada gente. Bob acabou metendo os pés pelas mãos e esqueceu de se arrumar. Mas por um milagre divino, tudo deu certo e Bob entrou na passarela, menos bonita do que sua Little Woman, mas entrou.


Terra ficou com a mulher de lata e escolheu Derrick Barry, que por sinal amou a escolha. Terra também faz cover da Britney, ou mini Britney. Derrick e ela já trabalharam juntas, mas essa conexão não foi suficiente. Os jurados apontaram que Derrick apenas apresentou um body com um tecido amarrado na cintura, e isso é tudo o que ele tem apresentado, bodys e biquínis com algum acessório ou alguma coisa grudada nele. Miss Derrick tem que abrir os olhos e rápido, porque as críticas só aumentam. Ou é criticada por fazer Britney demais ou é criticada por não ter um look decente. Ta ficando difícil te sustentar na corrida.


Jasmine ficou com o espantalho e escolheu Naomi Smalls. Naomi foi a grande reviravolta nesse episódio. Entrou servindo um top, mas com uma saia bem chamativa e longa, o que foi bem observado pelos jurados e colocado como uma representação digna do que é alta costura e como um espantalho pode ser chique. Isso garantiu a vitória dessa semana para Naomi.


Tonya ficou com Dorothy e escolheu Chi Chi Devayne. Chi Chi foi a grande decepção pra mim. Novamente Chi Chi tocou no assunto de: “Eu sou uma queen pobre” e numa conversa com Tonya, a Little Woman abriu seus olhos, disse que ela não deveria se martirizar assim e nem ver isso como uma fraqueza, pelo contrário, que ela deveria ver que isso não é um obstáculo e que assim como Tonya, não vai ser o seu tamanho que vai lhe impedir de fazer grandes coisas. Foi preciso mesmo vir uma pessoa de fora pra fazer Chi Chi entender isso, sendo que Michele já tinha dado uns esporros nela por isso, como vimos no untucked da semana passada? Acho que Chi Chi deve crescer mais, porque esse pensamento de “eu sou pobre” não me convenceu. Ela apresentou um vestido horrendo feito de cola quente enquanto as outras se esforçavam e davam o seu melhor na alta costura. Acredito que Chi Chi fez isso na intenção de usar a pobreza e a vida difícil como justificativa pra roupa ruim. Perdeu grandes pontos comigo.


Durante as críticas dos jurados, RuPaul questionou para cada queen, quem deveria voltar pra casa, resultado, a maioria jogou Chi Chi e Derrick na frente do ônibus. Nada mais justo, já que até Robbie com a sua peruca mal colocada estava com um look aceitável na passarela, e também não tinha um histórico de críticas ruins. Gosto muito desses joguinhos de opiniões que a RuPaul faz, por que assim como o mini desafio da livraria, podemos perceber quem é a mais venenosa e que pode derrubar as outras num piscar de olhos. 


Como já comentei acima, Naomi levou a melhor no desafio da semana, enquanto Derrick e Robbie ficaram no Lipsync for your life. As duas dublaram “I Love It” da Icona Pop o que acredito que desfavoreceu um pouco Robbie. Sabemos que ela é uma queen vintage, que tem referências dos anos 60 em diante, e pra mim foi natural ela estar perdida em cima do palco, mas o que mais me revoltou foi ela começar a tirar a roupa, peruca e se desmontar durante a performance. Já deixei bem claro que detesto esse tipo de queen que não consegue sustentar o look até o fim do Lipsync. 

Já Derrick, pela sua primeira vez dublando arrasou total, fez pirueta, mostrou o corpão, não se desmontou o que é importante. Deu até vontade de ir pra Las Vegas ver seu show. Fiquei abismado com a dublagem dela. Mas não devia ser menos do que isso, já que é a sua profissão. Derrick confirmou que é uma candidata forte no Lipsync. 

Resultado: Shantay You Stay pra Derrick Barry, Sashay Away pra Robbie Turner. 


Uma pena perder Robbie, mas esse Lipsync serviu pra mostrar pra Derrick que ela tem que sair da caixinha da Britney como ela mesma comentou emocionada. 

Restam apenas 6 queens na corrida, então vou reduzir o meu top 5 dessa semana para top 3.

3 -  Derrick Berry

Mereceu por estar reconhecendo seus erros e qual o caminho da vitória. Sem comentar no tiro que foi o Lipsync

2 – Kim Chi

A sede de vitória ta sendo despertado em Kim, gostei dela deixando de lado o fato de ser sempre salva e da busca pela vitória. Gosto de queens competitivas, já dizia isso desde Phiphi O’Hara na quarta e Roxxy Andrews na quinta.

1 – Bob The Drag Queen

Bob até agora é a única que ganhou dois desafios, e merecidos. Bob tem talento, tem carisma e isso é inegável. Mas ela merece mais ainda por ter deixado seu ego e a competição de lado essa semana pra deixar a Elena se sentindo maravilhosa na passarela. Esse sentimento pelo próximo me comove.

Gostou do recap? Discorda de alguma coisa? 

Deixe seus comentários e seu top 3.

Beijos e até semana que vem.


Rômulo Cordeiro
Twitter: @Raiolaser_
Instagram/snapchat: raiolaser



11 abril 2016

Comentaristas em Destaque: 09,10/abr/2016
Fim de semana



Milla.Luana deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Frank Killer | "BBB 16": Carisma":
 
Frank,

Estou simplesmente fascinada com seu raciocínio empírico.

Enriquecedor o texto e as respostas. O bom é que a atribuição de pontos por critérios objetivos abre espaço para que cada observador estabeleça sua própria valoração para cada atributo. Contudo, invariavelmente, é possível se estabelecer um consenso, ainda que aproximado, quando o mesmo método é utilizado por mais pessoas (um grupo de observadores).


 
Milla.Luana deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Frank Killer | "BBB 16": Carisma":
 
O que dizer do texto que Pedro Bial fez em homenagem ao singular elenco BBB16?

Transcrevo o texto abaixo.
______________

Para, respira, agora feche os olhos
Que imagens você quer guardar?

Não tem jeito,
em algum momento você tem que deixar a festa mais cedo.
O baile vai seguir.
Acontece na vida real, na ilha fiscal
Ou em qualquer quintal.

É preciso continuar,
passar o álbum.
Que seja para filosofar sobre coisas que nunca existiram,
intrigas e entregas,
digital, preto e branco.
Verdades dissonantes
Futuros amantes.
Tudo zen meu bem.

É o paredão do bem,
Milhões de pixels numa tela multiplicando milhões de “olha ela”.

Tarefa difícil protagonizar a própria vida,
se levar a sério faz perder toda a graça.
Já rir de si mesmo é ser generoso com o amanhã,
chorar também.

Nessa gangorra de possibilidades o coração pergunta:
Beijos ou bytes?
O que levar mais longe ou trazer para perto?
Amor furtivo ou amante fugitivo?

Eis o ponto “G” da questão,
Duplicidade, dupla idade.

Ah se essa juventude fosse medida por encantamento
Se todo sorriso sofresse mitose.

No fim, a história é como naquelas máquinas de foto instantânea,
a imagem vai aparecendo aos poucos.
Talvez se distancie das cores originais,
mas revelam o essencial.

O caminho para a vitória pode ser por lá,
pode ser por aqui,
pode ser Pequi.

Pedro Bial


 
luci amorim deixou um novo comentário sobre a sua postagem "O que faltou dizer do BBB16Por Acioli, Sérgio Bern...":
 
Querida Acioli, obrigada por mencionar no seu comentário a minha mania que vcs chamam de "bordão" rsrs : "Vai ser feliz...vai pessoa", "Vai dormir... vai pessoa"! Muito bom ser lembrada por vc! Obrigada!!

Aos queridos : Hanne, Acioli, Deby, Gerusa, Maria Oliveira, Maria Quarteroli, Cristiana, Rogério Trevisan, Jubern e tantos outros que fizeram parte da "Turma o Bem"!! Deixo meu carinho e admiração!
De vcs só levarei boas lembranças.

Mas do BBB16 só levarei decepção.

Meu consolo foi a virada na reta final! A cacau ganhar o segundo lugar! Era a nossa Esperança...

A vitória da munik, acredito que já estava definida desde a sua seleção.
Quanto a ana paula, ronan e geralda, não tenho mais o que falar... todos sabem o que penso de cada um.
Como também sabem da minha indignação na ocasião da eliminação do Daniel, Tamiel, Renan e juliana. Uma pena... Enfim, já acabou! Aos poucos a maioria dos participantes vão sendo esquecidos dando espaço a novas atrações.

Minha observação do Jogo:
Eu olhei os participantes do BBB16 como adversários e não como inimigos, reconheci em cada um o seu valor. Percebi onde cada um queria chegar! Mas não concordei com quem foi além do que a ética permite. A competição só é saudável se for dentro dos padrões respeitosos que considero indispensáveis. E o resultado só é justo quando conseguido com empenho, determinação, garra e fé. Todos mereciam respeito, e assim que deveriam ter se relacionado.
E não com escândalos, arrogâncias, e grosserias!!

É com respeito ao próximo que devemos passar pela vida !!

Abraço respeitoso ao Luiz (Votalhada), e abraços afetuosos aos queridos amigos comentaristas acima mencionados. Fiquem na Paz!!


 
Acioli deixou um novo comentário sobre a sua postagem "O que faltou dizer do BBB16Por Acioli, Sérgio Bern...":
 
Oi Luci! Não tem nada que agradecer, nós que agradecemos sua interação conosco e seus comentários pertinentes! Você provou que mesmo não pensando igual sobre todos os assuntos, é possível discordar sem perder a educação e a classe. É é por isso que eu gosto de escrever. Porque posso proporcionar debates saudáveis sobre todos os pontos de vista. Infelizmente nem todos pensam assim, mas estes não farão falta, rsrs. Nesta edição duas pessoas me causaram enjoo desde o início, não me desceram na garganta de jeito nenhum, Adélia e Geralda. Não suporto falsidade e dissimulação. Considero a pessoa sonsa muito mais perigosa e asquerosa do que a arrogante e mal educada. Em todos os outros vi qualidades também além dos defeitos. Até na Ana.Eu acho que descontrole emocional e falta de educação mostram que a pessoa tem problemas sérios que precisa tratar, mas falsidade é uma questão de caráter, e para isso infelizmente não há tratamento. Adélia e Geralda fizeram um jogo mesquinho e pobre. Nem Matheus com toda sua malandragem foi tão falso. Se uma das duas fosse a campeã, eu me retiraria de cena achando que o mundo realmente está perdido e não tem mais solução. Por isso fiquei feliz com a vitória de Munik. Acho que ela foi coerente e firme durante toda a trajetória, mesmo sem ser perfeita, afinal ninguém é, mas podemos ser imperfeitos sem perder a ética e a honra. Foi o que vi em Munik. E já não vi em Cacau. Ela aceitou uma relação fake para se manter no jogo, fez um jogo escorregadio até onde pôde e apesar de detestar Geralda como ela detesta, não é bonito faltar ao respeito com um idoso, por pior que o idoso seja. Todos merecem respeito, mesmo aqueles que não valem nada. Quando você respeita quem não te respeita, deixa ainda mais evidente a falha do desrespeitoso. E Cacau perdeu essa enorme chance. Já Munik foi madura para a idade e me conquistou.
Bom, também sentirei muita falta de vocês! Mas ano que vem tem mais! E deixo aqui o meu muito obrigado por estes deliciosos papos cabeça, rsrs. Beijo grande!


 
Hanne Brandenburg deixou um novo comentário sobre a sua postagem "O que faltou dizer do BBB16Por Acioli, Sérgio Bern...":
 
Luci, querida. Fazendo minhas as suas palavras "o Brasil precisa de muitas lucis como vc"!!!

Seus bordões ou manias de falar, mostram que vc não só é totalmente do bem, mas que sabe, com maestria e humor dar um chega prá lá nas pessoas de coração ácido, que muito tem o que aprender na vida, principalmente o respeito ao próximo.

Nada de despedidas, quem acabou foi o BBB, nós os comentaristas que vc tão bem denominou de família Votalhada estaremos sempre aqui e queremos contar com seus comentários, carinho e humor. Um grande beijo!!


 
Maria Quarteroli deixou um novo comentário sobre a sua postagem "O que faltou dizer do BBB16Por Acioli, Sérgio Bern...":
 
Opa!! deixe eu tb dá minha modestia opinião,kkk...destes que escreveram aqui, assino em baixo, reconheço firma salvo e discordo totalmente do Sergio Bernado,dizer que os paredões foram 100% justos é no mínimo nos chamar de burros( quem discordou) nunca, jamais Renan poderia ter perdido para quem perdeu e de 6 a 0(como pode,rs) ,foi injustíssimo( não só eu achei,mas 90% das pessoas de bem que converso nao gostaram dessa turma dos quatro, pq o resto 10% foram essa juventude que fica 24 horas no computador ora jogando ,ora fazendo isso,votando sem parar para demosntrar forças,uma lástima(como são poderosos) ,muito menos GG chegar a final,sem falar que uma pessoa expulsa por violar as leis teve todo apoio possivel e ainda pode interferir no resultado final por vingança,a mulher tinha coragem de ficar na internet comandando torcidas para tirar as pessoas,aí eu pergunto essa é uma pessoa boa? pessoa que age por vingança para mim nao tem um pingo de valor pq ela não iria ganhar nada a nao ser que no contrato com a GLOBO ela fosse obrigada a isso.. estou torcendo muito para que a FANNI ferre mesmo essa emissora,pq para uns podem e para outros nao,outra coisa,no final me parecia que a ganhadora até gostava da segunda colocada,mas agora vendo, penso;teria que ficar era o RONAN pertubando enchendo o saco dela isso sim,... a mulher virou milionária e queria bater na cara da menina que ficou com ela até o final..essa deve se as da boa sim, obteve 80 pontos em hunmildade e honestidade...,pode uma coisa dessa,enfim falar que nem o rogerio luiz trevisan,ela ganhou por que era bonitinha,muito bonitinha,mas bonitinha mesmo né Sergio Bernado? teve uma estatistica aqui que avaliaram os ex bbb e para surpresa minha os que mais valiei como bom ,foram os mais negativos,onde se viu Renan e Daniel ter acima de 40 pontos negativos em humildade ,carisma e honestidade,enfim é isso aí,me entristesse mesmo e nem vontade dá de voltar para papear desanimei dos seres humanos..mas tem pessoas boas tb,graças a DEUS..

Pessoal do meu coração, Luiz votalhada,Hanne, Aciole,luci,rogerio,Maria xará,Debbi,Cristiana e outros que agora me fugiu,obrigado pelas horas felizes que passamos aqui ,nada perdemos e sim ganhamos,porque sempre falo,uma pessoa que conheço e gosto é uma estrelinha que DEUS me presenteia e olha quantas estrelinhas...Vamos aprender a amar as pessoas ,mesmo que essas não tenham a mesma opinião,mas que sejam pessoas sensatas e do bem, não gosto, não gostei e nem quero gostar de pessoas da espécie de AP a rainha louca..


 
rogerio luis trevisan deixou um novo comentário sobre a sua postagem "MasterChef 2016 | 3ª temporada terá duração de 6 m...":
 
eu tenho uma fascinação pela culinaria, parece que usar uma DOMA de chef, eleva nossa auto estima, e nos coloca num patamar de respeito e destaque, mas a responsabilidade, a perfeição a "briga" com o fogao e os alimentos, e muito grande, e quase que imperdoavel qualquer erro,... tanto trabalho para , deixar um prato impecavel, passa paninho aqui, passa ali, pra depois a pessoa vir e fazer um estrago naquela pintura, da um dóóó !!! mas vamos acompanhar e ver o que acontece, esta apenas no começo, vamos ver quem sera um chef de verdade !!!


 

09 abril 2016

O que faltou dizer do BBB16
Por Acioli, Sérgio Bernardo e Hanne


aciolicontato@gmail.com

E essa edição começou, esquentou, esfriou, azedou, enjoou. Entediou, melhorou, animou, terminou.

Ao analisar o elenco inicial, quase todas as tribos presentes, como sempre.

A gostosa - Munik
O gostoso- Renan
A bombadona- Adélia
A descolada - Harumi
O filósofo - Alan
A planta - Tamiel
O zen - Daniel
A "amostrada" - Maria Cláudia
A fina - Juliana
O malandro - Matheus
O esquisito - Laércio
A vovó - Geralda
O polêmico - Ronan
A louca - Ana Paula
O ator - Laham

Lógico que isso é apenas uma brincadeira escolhendo apenas uma palavra para descrever a primeira impressão que tive de cada um deles.

E aí? Vocês se divertiram?

É fato que até a desclassificação de Ana Paula eu me diverti horrores. Tem que ter conflito, disputa, barraco, gritaria e confusão, rsrs. Depois da sua desclassificação houve uma certa monotonia. Nada que me fizesse deixar de assistir, mas já não era tão divertido. Continuaram os conflitos, claro, mas sem tanta graça.

A partir daí a direção muda as regras na tentativa de não deixar a audiência cair, e criar ainda mais conflito. Na reta final o direcionismo é forte.

Teve líder sem imunidade, muito quiz direcionado para beneficiar esse ou aquele, prêmios em dinheiro para líderes e anjos, cinema e almoço do anjo podendo escolher apenas um pra acompanhar.
A crise econômica deu o ar da graça. Quase sem shows ao vivo, nenhum presente para os brothers, com exceção do carro na prova final. Nenhuma prova do anjo externa. Pois é, não sei dizer se menos foi mais neste caso.

Bial como sempre não fazendo questão de esconder suas preferências e antipatias. Antipático isso. Né?

Agora sem dúvida nenhuma o que mais marcou esta edição foi a disputa aqui fora. Este foi o BBB das diferenças, desavenças, implicâncias, ofensas.

Como se a "Rainha Louca" realmente fosse uma nobre governante Maria, e seus fiéis e leais súditos vivessem com os únicos objetivos de livrá-la da guilhotina ou do ostracismo, e de atacar  os revolucionários.

Nunca antes tantas personagens dividiram as torcidas em ame-as ou odeie-as. E nunca as torcidas brigaram tanto. As torcidas do Twitter tentando impor sua vontade e as torcidas do sofá se indignando. Durante boa parte do programa, o sofá teve que engolir o twitter e vice versa, ao contrário da edição que originou as Clanessas, adolescentes obsessivos e ávidos por polêmicas e confrontos, cujas próprias vidas parecem hibernar em tempos de RS. Desta vez a turma do sofá reagiu com tanta força que o diretor resolveu intervir, preocupado com a audiência.

Também foi marcada pela surpresa. Máscaras caindo à torto e à direita. Favoritos e odiados sendo ao mesmo tempo um e outro, tanto por causa do tipo de jogo, personalidade e bom ou mau caráter, como por amizades ou inimizades, o que não deixa de ser curioso, uma vez que o jogo é individual e não em equipe.
E sem dúvida, marcada pelo inusitado. Favoritos foram eliminados nas primeiras semanas, mocinhos viraram vilões, vilões viraram mocinhos, paredão virou prêmio, premiação foi previsível.

Essa edição, definitivamente, foi diferente de todas.
Fiz uma análise com três semanas de jogo em que eu terminava perguntando se teríamos novamente um BBBBD - BBB Bom Demais. Faço agora a análise final e nem eu possuo resposta para esta pergunta. LOL.

Mas de uma coisa eu sei: já estou com saudades! Que venha logo 2017!

Aproveito para me despedir dos amigos que tenho aqui, dos comentaristas que vem complementar de forma brilhante o que foi dito, da torcida contrária, já que há espaço no mundo para pontos de vista diferentes, pois o que seria do mundo se todos pensassem igual? E até mesmo dos estressadinhos que me julgaram e condenaram sem que eu tivesse cometido nenhum crime, apenas por pensar diferente. Pois responder à vocês exercitou minha calma, um exercício da alma. Para estes deixo a paródia de um bordão de uma comentarista muito querida aqui no blog, Luci Amorim.
"VAI SER FELIZ, VAI PESSOA!!

Beijos pra quem é de beijo e Abração pra quem é de abraço!



sergiorodrigobernardo@hotmail.com
@sergiorbernardo


Sempre achei interessante o formato do Big Brother justamente por mostrar as pessoas no dia-dia, presos dentro de uma casa com outros perfis de pessoas que talvez não conviveriam aqui do lado de fora e como se comportariam nisso dentro de um jogo que vale muito dinheiro. Acompanhei todas as edições e de certa forma acostumei que na maioria das vezes as pessoas que eu mais me identificava o público não estendia a mão em sua maioria. Foram poucas as edições que realmente os meus favoritos chegaram na final... O motivo talvez seja pelo fato de eu não gostar de programa de "assistencialismo", que com certeza é algo bom para as pessoas, mas pouco divertimento trás para quem assiste; Prova disso foi que a temporadas do BBB com campeões mais "pobrinhos" foram justamente as edições mais chatas e com pouca repercussão. Acredito que o diferencial do BBB16 foi justamente esse. É errado brigar com alguém e dar de dedo na cara? É ruim ter dinheiro? É ruim fazer jogo para poder sobreviver num jogo como esse? Alguns anos atrás todas essas perguntas seriam respondidas como erradas para maioria do público que assiste, mas hoje vejo que no geral as pessoas pararam de levar tudo tão a sério e ver como puro entretenimento. Ponto positivo! O programa precisava mesmo se repaginar e foi o que aconteceu. Ana Paula não é um exemplo a ser seguido por ser impulsiva demais,talvez pelo fato de ter tido tudo muito na mão, mas é inegável que o jeito sincero dela de lidar com os atritos foi o ponto que chamou atenção da maioria do público e fez do BBB16 um programa de alta repercussão como não se via a muito tempo. Com isso, ao meu ver, os resultados do paredões foram quase 100% justos e tivemos uma campeã autêntica, que se posicionava no jogo, se defendeu quando precisou, falou o que pensava sem medo e viveu intensamente, ao contrário do ano passado, que tivemos um campeão que se isolou, não fez amigos e foi o típico campeão coitadinho que o público estendeu a mão por ser do interior, com jeito de bom moço e de família humilde. O prazer de ver o programa é justamente ver pessoas se entregando de corpo e alma, e não fazer média para depois seguir carreira na TV, ou mais sucesso como modelo. Dentre tudo que eu citei, posso colocar o BBB16 entre as melhores temporadas do programa, e vai deixar saudades...



@hanne15115

Sempre gostei muito do BBB e minha sensação com a proximidade do término de uma edição era de tristeza, de saudade antecipada. No BBB16 aconteceu diferente, em sua reta final, confesso que torcia para que chegasse logo o dia 05/04/2016. E ele chegou trazendo um alívio não só para mim, mas para a Globo que via sua audiência despencando dia após dia, os patrocinadores que precisavam divulgar seus produtos e principalmente para os telespectadores que gostam de um bom reality show, onde podemos vibrar por nossos jogadores favoritos sem a invasão de torcidas organizadas e seus seguidores fanáticos.

Posso estar enganada, mas já li em algum lugar que o formato original, criado pela Edemol, é alterado de acordo com a produção da emissora de cada país, como na Espanha que não acaba, vão alternando a saída dos participantes com a entrada de novos e já dura bastante tempo, não sei precisar quanto. Nos EEUU em que não existe a participação tão efetiva do público na eliminação do candidato, mas são os outros confinados que tomam essa decisão, e também a liderança compartilhada, copiada pela Globo, nessa 16ª edição. 

No caso específico do nosso país, e fazendo uma comparação com a política, onde somos enganados por aqueles que elegemos para nos representar e fazer valer nossos direitos de cidadãos, como poderíamos esperar que uma emissora de televisão, a mais rica e poderosa entre todas as outras, após faturar milhões com o programa, iria nos respeitar e nos mostrar um reality bem produzido, sem manipulações e/ou articulações em favor dos seus “candidatos”? Impossível, não é mesmo? 

Em todas as edições vão existir barracos, isso não condeno, pois é bastante compreensível diante da pressão de um confinamento onde pessoas com personalidades distintas serão submetidas ao desafio e se sentirão obrigadas a conviver de forma pacífica com alguém que discorde totalmente do seu modo de pensar, gostar e agir, sem entrar em algum conflito. Agora, uma coisa é você discordar, não aprovar as atitudes de um outro participante confinado, ou não sentir afinidade para uma aproximação mais saudável, e outra é chegar ao ponto de agredir  verbalmente seus colegas, que foram selecionados e se encontram no mesmo grau de direitos e deveres como participantes, se valendo do fato de ser rica, ter tido uma vida sem precisar trabalhar para se sustentar e achar que o mundo gira em torno de si, e que todos ao seu redor lhe devem reverência. Nem preciso dizer a quem estou me referindo, mas com certeza, este foi o fator que para alguns serviu como audiência e diferencial desta edição, para mim foi o que de pior aconteceu, principalmente pelo fato de, após sua saída, de forma vergonhosa, pois infringiu a principal regra contratual, ter inflamado sua torcida aqui fora para ajudá-la na vingança daqueles que lhe afrontaram e não aceitaram que ela era tão poderosa quanto imaginava, transformando de vez o que poderia ser um programa de entretenimento, em batalhas de torcidas fanáticas que exaltavam sua força como se donos e detentores dos direitos autorais do programa fossem. 

Outro detalhe que muito me chamou a atenção foi perceber, baseada em atitudes da jovem que foi a vitoriosa, principalmente na reta final, que o BBB já antecipa seu candidato preferido e a ele passa informações, articulações para deixar essa pessoa tranqüila e certa de sua vitória, dando a impressão que os outros estão ali como meros fantoches, bonecos que se sujeitaram a serem simples platéia para aplaudir o escolhido pela emissora e nós telespectadores, bestas por ainda alimentarmos alguma esperança que nosso participante preferido pudesse chegar à final, sem precisar contar com a ajuda da produção, mas pelo que mostrou ser dentro da casa. 

O Bial foi se firmando a cada edição como apresentador e até pouco tempo atrás achava impossível surgir alguém com seu carisma, cultura, astúcia e inteligência que o substituísse na condução do programa. É visível a carência afetiva que os participantes demonstram sentir por ele, todos querem receber dele uma palavra de carinho e se sentir fazendo parte de seu círculo de preferidos. Todas essas qualidades que sempre via no Bial, hoje vejo no Tiago Leifert, que possui tanto carisma quanto, e ainda por cima demonstrou no The Voice Kids que também tem o dom da escrita, até pediu licença ao Bial pela ousadia, mas foi muito emocionante o que ele escreveu sobre aquelas crianças.

Foi assim que vi o BBB16, que venha o BBB17 e, quem sabe, alguma coisa mude e se não ocorrer, pelo menos já estou mais consciente de como me portarei como telespectadora. Decepções e alegrias sempre farão parte de nossas vidas.